terça-feira, 31 de julho de 2012

MARINA SILVA - DO CORAÇÃO DA AMAZÔNIA PARA TODO O PLANETA


Atualmente não tem como se falar em desenvolvimento sustentável e causas ecológicas sem citar Marina Silva. Em quase 30 anos de vida pública a “filha da Amazônia” ganhou reconhecimento dentro e fora do país. Graças a sua dedicação a causa, que ela é destaque no Vita.
Aqui você encontra informações sobre esta fantástica personalidade brasileira, sua história, sua trajetória política, seus feitos, curiosidades e frases marcantes.









Marina Silva


Maria Osmarina Silva de Souza nasceu em 08/02/1958, na cidade de Rio Branco AC. Filha de seringueiros, seus pais tiveram onze filhos, no qual apenas oito sobreviveram. Criança nesta época, a ambientalista morava a 70 km da capital, em uma palafita chamada Breu Velho, no seringal Bagaço AC.

Quando tinha quinze anos mudou para Rio Branco para tratamento de saúde. Nesta época havia perdido duas irmãs vitimas de sarampo e malária. Foi acolhida por Dom Moacyr, então bispo do Acre, onde ficou na casa das irmãs Servas de Maria. Seu primeiro emprego foi como diarista, abandonando de vez a possibilidade de ser freira.

Foi casada duas vezes e teve quatro filhos, do primeiro casamento teve Shalon e Danilo, do segundo Moara e Mayara.

Sua formação acadêmica se deu pela Universidade Federal do Acre onde cursou História, realizou duas especializações em Brasília, chegou a estudar na Argentina, curso interrompido em 2010 para se dedicar a disputa eleitoral a presidência do Brasil.
Foi professora de ensino secundário, porém somente quando ingressou na política que sua vida começa a mudar e o fenômeno Marina Silva surge no cenário político, sociológico e ambiental. Filiada ao Partido Revolucionário Comunista (PRC), partido político abrigado pelo PT sob o comando de José Genoíno. Ao lado de Chico Mendes fundou a CUT (Central Única dos Trabalhadores) no Acre e teve um envolvimento fundamental nas causas trabalhistas e no meio ambiente. Em 1988 foi eleita vereadora, sendo a mais votada em Rio Branco – AC. No mesmo ano perdeu seu amigo e companheiro sindical Chico Mendes. Em 1990 foi candidata a Deputada Federal sendo novamente eleita com maior número de votos. 1994 foi o ano onde Marina entrou para o senado, repetiu o feito e novamente foi a mais votada, sendo reeleita em 2002. Em 2008 retorna ao senado, após longo período, exercendo o cargo de Ministra do Meio Ambiente do governo Lula.

Marina quando ministra enfrentou sérios problemas em sua gestão, teve opiniões divergentes com pessoas da alta cúpula do PT. Segundo ela, os interesses econômicos contrapunham os objetivos de preservação ambiental. Foi acusada pela Casa Civil, comandada no período por Dilma Rousseff, de atrasar licenças ambientais para a realização de obras de infraestrutura do governo. Marina afirmou que não estava disposta a flexibilizar o que ia no caminho inverso ao desenvolvimento sustentável para permanecer no governo, disse ainda que o Brasil tem de aprender a impor seus limites buscando aliar o crescimento às práticas sustentáveis, sem acabar com a biodiversidade e com a vida. Seus problemas com Dilma e a alta cúpula do governo estavam longe de ter um final feliz, teve problemas no projeto das obras do Rio Madeira em Rondônia, perdeu a luta contra os transgênicos, contra a usina nuclear de Angra III, não conseguiu aprovar uma Comissão Técnica nacional de Biossegurança (CNTBio). A Ministra denunciou sofrer pressões dos governos de Mato Grosso e Rondônia para rever as medidas de combate ao desmatamento na Amazônia. Mesmo com toda dificuldade enfrentada, desempenhou um trabalho brilhante deixando o ministério com uma redução no desmatamento em 76%, com um crescimento agrícola de 64% e 28% de equipamentos de unidade de produção ligados ao agronegócio, provando assim que é possível conciliar crescimento com as práticas sustentáveis “desenvolvimento sustentável”. Porém no dia 13 de maio de 2008 Marina Silva entregou sua carta de desligamento do governo ao Presidente Lula, motivada pelos obstáculos que enfrentara e a ausência de sustentação de política ambiental em seu mandado como Ministra do Meio Ambiente, voltando assim a exercer o seu cargo no Senado Federal.

No dia 19 de agosto de 2009 Marina Silva anunciou sua saída do Partido dos Trabalhadores. Motivado por um movimento de cidadãos sem um partido político definido que sugeria e apoiava à candidatura de Marina a presidência, o Partido Verde brasileiro enxergou nisto uma possibilidade e convidou a Ex Ministra para a filiação, isso ocorreu em 2009, logo se torna candidata à presidência da república, a uma onda verde toma conta do país, milhões de pessoas vestiram sua camisa e adotaram sua ideologia. Por ser um partido político pequeno pouco investimento foi aplicado em sua campanha, porém uma nova forma de fazer política foi idealizada, Casas de Marina foram criadas onde eleitores fizeram de suas residências comitês informais e voluntários para divulgar as propostas da candidata. No dia 3 de outubro de 2010 com a apuração de votos no primeiro turno da eleição presidencial a candidata surpreende o Brasil com 19.636.359 votos que correspondeu a 19,33% dos votos válidos, alcançou o terceiro lugar na disputa eleitoral, em algumas capitais como Belo Horizonte, Brasília e Vitória conseguiu o primeiro lugar na disputa. Meses depois do período eleitoral Marina anuncia sua saída do PV, no programa Roda Viva na TV Cultura, afirmou que o partido teria que se decidir se queria ser uma sigla ou uma coluna importante para a sociedade, sugeriu uma ampla campanha de filiação e defendia a democratização do partido com eleições diretas para eleger suas diretrizes. A desfiliação de Marina Silva acabou acontecendo e no mesmo programa de TV que afirmou: “A política envelhece quando as pessoas não são mais capazes de receber novas contribuições”

Atualmente Marina Silva está focada no Movimento Nova Política, que é uma articulação de pessoas que inconformadas com a política atual querem construir um país mais ético, justo e sustentável. Pelo andar da carruagem desta ação surgirá um novo partido político.

                                               Curiosidades

Marina teve a mãe e três irmãos mortos no Acre devido a falta de infraestrutura

Marina é um apelido dado por uma tia e adotado oficialmente pela primeira vez em 1986 na disputa por uma cadeira na câmara municipal de vereadores de Rio Branco AC.

Marina teve parte de sua criação dentro da Igreja Católica, porém converte-se ao cristianismo evangélico seguindo a filosofia da Igreja Congregação Cristã do Brasil.

Marina foi alfabetizada apenas aos 16 anos pelo antigo Movimento Brasileiro de Alfabetização, o Mobral.

Alérgica aos cosméticos convencionais Marina Silva usa beterraba nos lábios para substituir o batom.



A biografia de Marina Silva fez com que ela fosse escolhida pelo jornal britânico The Guardian, em 2007, uma das 50 pessoas em condições de ajudar a salvar o planeta.



Marina entrou carregando a bandeira com os anéis olímpicos juntamente com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o maestro argentino Daniel Barenboim e prêmios Nobel. O convite partiu do Comitê Olímpico Internacional, sem o conhecimento do governo brasileiro, e foi mantido em sigilo. A ex-ministra é reconhecida internacionalmente por seu trabalho de defesa do meio ambiente.


                                     Frases de Marina Silva

· “O custo do cuidado é sempre menor que o custo do reparo”.

· "Não existe nada mais poderoso do que uma ideia cujo tempo chegou"

· “Ninguém pode fazer pelas pessoas, aquilo que só elas podem fazer por si mesmas,
que é sonhar e decidir o futuro que querem para si”.

· “A natureza tem uma estrutura feminina: não sabe se defender mas sabe se vingar como ninguém”.


 “Hoje, todos nós sabemos que somos finitos como raça. E, além de não saber como lidar com a imprevisibilidade dos fenômenos climáticos, temos pouco tempo para aprender como fazê-lo”.

 “Em vez de ficar dizendo como não fazer, deve-se criar a forma correta de fazer”.

 É preciso que a população tenha condições de intervir nas políticas de governo, não apenas de confirmá-las.

                                            Feitos de Marina Silva
· Em 1988, foi eleita como a vereadora mais votada para a Câmara Municipal de Rio Branco e conquistou a única vaga da esquerda. Em dois anos de mandato como vereadora, Marina promoveu polêmicas que mudaram a política do Acre. Começou por devolver o dinheiro das gratificações, auxílio-moradia, e outras mordomias que os demais vereadores recebiam sem questionamento. Entrou com processo na justiça exigindo que todos fizessem o mesmo, mostrou aos jornais e na televisão o valor dos salários pagos aos vereadores, que a maioria da população desconhecia. Ganhou a oposição e até a ira dos adversários, mas recebeu uma solidariedade popular nunca antes destinada a nenhum político do Estado.



· No senado apresentou mais de 100 proposições, destacam-se 54 projetos de lei.



· Foi membro titular da comissão do meio ambiente no senado.



· Projeto de lei da criação do Fundo de Participação dos Estados e do distrito Federal para que as unidades da federação que abriguem em seus territórios unidades de conservação da natureza e terras indígenas demarcadas.



· Projeto de controle de acesso aos recursos genéticos do país.



· Quando ministra trabalhou focada em quatro diretrizes: maior participação e controle social; fortalecimento do sistema nacional de meio ambiente; transversalidade nas ações de Governo; e a promoção do desenvolvimento sustentável.



· IBAMA, passou a ser ouvido prioritariamente antes da licitação dos blocos de petróleo e a variável ambiental começou a pontuar nas várias ações de Governo que envolvia o desenvolvimento sustentável.



· Contribuiu quando ministra com a criação do instituto Chico Mendes de Biodiversidade, uma autarquia com autonomia administrativa e financeira, para propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as unidades de conservação.



· Marina criou o Serviço Florestal Brasileiro e o Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal, para atuar na gestão florestas públicas federais e incentivar as praticas sustentáveis de atividades florestais, como o manejo florestal, o processamento de produtos florestais e a exploração de serviços florestais.



· Marina realizou uma reestruturação no IBAMA.



· Criou um novo formato para os licenciamentos ambientais.



· Em 2003 quando assumiu o Ministério do Meio Ambiente este era composto por sete servidores efetivos e 71 contratados temporariamente. Ao sair do MMA (Ministério do Meio Ambiente), Marina deixou na Diretoria de Licenciamento um quadro com 149 servidores efetivos e 31 temporários, num total de 180 funcionários.



· Outro importante ganho estrutural foi à criação de 24 milhões de hectares de unidades de conservação (UCs) em áreas de fortíssima pressão da fronteira predatória, mudando procedimentos anteriores que criavam essas unidades em regiões remotas e de baixa pressão fundiária. Também foram homologados 10 milhões de hectares de áreas indígenas, além da criação dos distritos florestais sustentáveis, visando ao uso sustentável da madeira, com certificação e manejo florestal, para valorizar a floresta em pé.



· No período em que Marina Silva esteve à frente do Ministério do Meio Ambiente foi apreendido um milhão de metros cúbicos de madeira, presos mais de 700 criminosos, desmontadas mais de 1.500 empresas ilegais e inibidas 37 mil propriedades de grilagem. O trabalho do IBAMA contou com a ajuda da Polícia Federal, do Ministério da Defesa e do INCRA, setores que lidam com a agenda de combate a ilegalidades, no esforço de ampliação das ações de fiscalização e de inteligência.



· Também aperfeiçoou o sistema de monitoramento por satélite, criando o Sistema Deter, do INPE, (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) que permite o monitoramento quase em tempo real e torna a ação fiscaliza tória mais eficiente.


· Às vésperas de sua saída do Ministério do Meio Ambiente, Marina Silva propôs e o Presidente aprovou a criação de uma linha de crédito para recuperação da área de reserva legal com espécies nativas.


· Ainda no primeiro mandato do Presidente Lula, Marina Silva propôs e viu aprovada a Lei sobre Gestão de Florestas Públicas, que regulariza o uso sustentável das florestas públicas brasileiras, além de criar o Serviço Florestal Brasileiro e o Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal. Quando saiu do Governo, a ex-ministra deixou o processo de licitação para a primeira concessão de exploração sustentável da floresta já em fase de avaliação das propostas.



· No ministério do Meio Ambiente, Marina também encaminhou para a Presidência da República, entre outros, o anteprojeto de lei sobre Acesso a Recursos Genéticos, Conhecimentos Tradicionais e Repartição de Benefícios, assim como o projeto de lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, em tramitação no Congresso Nacional.


· Em 2008, já de volta ao Senado, Marina Silva foi à primeira voz a defender, na Casa, a importância de o Governo assumir metas para redução das emissões de gases de efeito estufa. Em 2009, o Governo anunciou, finalmente, a adoção dessas metas. Mas não seria tudo, a senadora também cobrou do Governo e do Congresso Nacional a inclusão da meta brasileira, com os percentuais para a redução das emissões de gases do efeito estufa até 2020, no Plano Nacional de Mudanças Climáticas, que seria aprovado e sancionado pelo Presidente da República antes da realização da Conferência de Clima (COP15), realizada em dezembro, em Copenhague.


Nestes mais de 500 anos de Brasil colonizado, tivemos uma política de extração e o uso dos recursos naturais utilizados predatoriamente, Vivemos em uma época de mudança de conceitos, pois nossa raça percebeu tardiamente que o planeta está pedindo socorro. No país tivemos vários guerreiros, porém nenhum conseguiu tantas vitórias como a “filha da Amazônia”.

 “O elo entre Marina Silva e o Meio Ambiente é extraordinário que está enraizado no mais fundo de sua essência”


By: Tiago Maior



  Entrevista concedida ao programa Roda viva na TV Cultura.








 

Marina Silva tem seu merecido reconhecimento às causas ambientais e representa o verde na abertura das Olimpíadas de Londres 2012.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário